Vídeo forte: Mulher estupra marido com vergalhão e obriga filho a gravar

Brasil

Uma mulher de 40 anos foi denunciada por estuprar o próprio marido com um vergalhão de ferro na frente dos filhos e colocar um deles, uma criança de 11 anos, para fazer o vídeo do momento do crime. O caso aconteceu no município de Marechal Deodoro, na Grande Maceió, no último fim de semana, e a polícia concluiu o inquérito nesta quinta-feira (04), com o pedido de prisão preventiva contra a suspeita.

Segundo o chefe de operações do 17º Distrito Policial, Antônio Augusto, a suspeita foi ouvida na última segunda-feira e disse estar arrependida de ter introduzido a barra de ferro no ânus do companheiro. Como não houve o flagrante, ela foi solta e aguarda em liberdade.

Ao ter acesso às imagens do estupro, a polícia ouviu os envolvidos e finalizou a investigação na mesma semana.

“Ela disse que se arrepende, mas já responde por três TCOs, incluindo ameaça e danos. Ela já tinha praticado violência contra o marido. E desta vez, mandou o vídeo do estupro para a sogra, mãe da vítima, para causar dor e sofrimento para toda a família”, enfatizou Augusto, ao destacar que o autor e a vítima estavam alcoolizados na hora do crime.

“Os filhos foram retirados de casa e já estão sob proteção, sob custódia do Conselho Tutelar da cidade. São meninos de 11, 10 e 7 anos. Eles estão na casa de passagem. Agora não sei se o casal voltou a morar junto. Ela disse que se arrependeu, e a vítima disse que a ama, que quer continuar com ela, mesmo depois de tudo”, complementou.

O inquérito foi remetido à Justiça, com o pedido de prisão por estupro e corrupção de menores. Antes do crime, a família vivia em condições precárias no Povoado Pedras. 

Crime após bebedeira 

Segundo o relato da vítima, que trabalha como motorista, o casal passou todo o sábado (29) bebendo em casa. O homem contou que, quando estava deitado, sem qualquer motivo, a mulher introduziu o vergalhão.

Mesmo tendo comparecido à delegacia para comunicar o fato, ele não quis ser submetido a exame de corpo de delito, no Instituto Médico Legal (IML), e afirmou que vai continuar com a relação com a suspeita. O casal, no entanto, poderá perder a guarda dos filhos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *