PF investiga trabalho escravo no município de Itacoatiara

Amazonas

Uma investigação conduzida pela Polícia Federal lançou luz sobre possíveis crimes relacionados à redução à condição análoga à de escravizado em um instituto de reabilitação de dependentes químicos na cidade de Itacoatiara/AM. Os alvos da investigação são os responsáveis pelo projeto “Resgatando os Cativos”, que pertence a um pastor e sua esposa.

O projeto, que alega ter como meta fornecer ferramentas sobre adicção para ajudar pessoas que sofrem deste transtorno psicoativo, está sob escrutínio por supostamente submeter os internos a condições degradantes de higiene, falta de alimentação adequada e trabalhos forçados.

A Operação Cativos, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira, 27 de fevereiro, mobiliza 25 agentes, os quais cumprem três mandados de busca e apreensão. Os mandados foram expedidos pela 4ª Vara Federal Criminal da SJAM, com base em informações estratégicas coletadas durante as investigações.

Além das condições precárias enfrentadas pelos internos, as autoridades também apuraram que os responsáveis pelo instituto estariam explorando a imagem dos pacientes em transmissões ao vivo nas redes sociais, com o intuito de angariar engajamento e recursos financeiros de doadores.

A Operação Cativos conta com a colaboração do Ministério Público do Trabalho, do Ministério do Trabalho e da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania do Amazonas (SEJUSC-AM), reforçando o compromisso conjunto de combater a exploração e a violação dos direitos humanos.

As investigações seguem em andamento para esclarecer os fatos e garantir a responsabilização dos envolvidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *