Defesa de Bolsonaro aciona o TSE contra Lula após associação com Ku Klux Klan

Política

A defesa de Jair Bolsonaro acionou o Tribunal Superior Eleitoral após Lula ter comparado os atos do 7 de Setembro, a uma reunião da Ku Klux Klan, ou seja, comparando ao grupo de supremacistas brancos dos EUA que prega a inferioridade dos negros. O caso está sob a relatoria da ministra Cármen Lucia.

Durante comício em Nova Iguaçu (RJ) realizado na quinta-feira (8), o petista afirmou que não havia pretos nem pardos nos atos a favor do Presidente Jair Bolsonaro (PL). “O ato do Bolsonaro parecia uma reunião da Ku Klux Klan, só faltou o capuz”, dispara o petista, em referência à indumentária do grupo racista.

A fala do petista levou a equipe jurídica do presidente a ingressar com uma representação por propaganda eleitoral irregular e pede que o TSE determine a retirada de todos os vídeos referentes ao comício das plataformas do Instagram e Youtube.

No documento, a defesa de Bolsonaro afirma que o Lula “incorreu em gravíssimas ofensas à honra e à imagem do Presidente da República”, além de ter destacado que “a liberdade de expressão não pode e não deve servir de escudo jurídico para a prática de condutas ilícitas, como no caso concreto, ao imputar claramente comportamento criminoso ao presidente da República, verdadeiro discurso de ódio”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *